9 Observações sobre o Inhotim

4ever3:inhotim41 – Simplesmente vá. O Inhotim é o maior museu a céu aberto do mundo. Seu nome, ao contrário do que muitos pensam, não vem de nenhuma palavra indígena. Ali era o sítio do Nhô Tim, que batizou o nome do Museu. É, na minha opinião, o museu mais bonito do país e um dos mais belos do mundo. É uma pena encontrarmos tão poucos brasileiros lá.
2 – Vá de tênis. Não de havaianas, não de sandália. Vá com uns tênis bem confortáveis.
3 – Compre a entrada com direito aos carrinhos. Custa mais 25 reais por pessoa e, mesmo que você diga que adora caminhar, é muita subida e descida e vai cansar demais. Mesmo com os carrinhos ainda caminhamos muito. Os carrinhos são ótimos para te levar aos pontos mais distantes.
4 – Um dia não é suficiente. Nós fomos a praticamente tudo. Não ficamos muito tempo admirando nada e ainda assim nos tomou dois dias inteiros.
5 – Antes de começar seu passeio, marque no seu mapa as galerias que estão fechadas. Vai economizar tempo. Nós fomos embaixo de chuva a algumas galerias que estavam fechadas para reforma…
6 – O restaurante Tamboril, dica do meu aluno e amigo Luiz Ricardo Belém, é um dos pontos altos do passeio. A comida é incrível, o local é lindo e o atendimento é primoroso. Não perca.
7 – A educação dos funcionários merece atenção. Todos são muito jovens, porém muito instruídos sobre suas funções e sobre o museu, são educados, atenciosos e simpáticos.
8 – Leve roupa de banho. 2 das instalações são piscinas que permitem a entrada dos banhistas. Se o tempo estiver bom e/ou você tiver coragem, entre na água.
9 – Se você for entre dezembro e abril, leve capa de chuva e guarda chuvas. Não A chuva não te impede de ver nada, mas vai ser um passeio diferente. Caso não queira chuva, vá em outra época do ano.

Se você gostar do Inhotim, certamente irá gostar do Dia Beacon

Submit a comment

dezoito − dez =