Somos O Que Comemos

“Somos o que comemos”
Acredito piamente nessa máxima e, sem fanatismos, acho essencial termos consciência do que ingerimos. Com a informação cada vez mais disponível e tendo o cuidado de distinguir o que são as “modas” e o que são verdades universais, acho que cada pessoa deve desenvolver o tipo de alimentação com a qual se identifica e que deixa o seu organismo feliz e saudável.
E exatamente por tudo isto, aqui fica mais um artigo interessante sobre o tema.
Em baixo deixo-lhe um excerto para aguçar a sua curiosidade.
Espero que lhe seja útil.
Um beijinho.

“Na área da nutrição e da alimentação, têm-se registado “revoluções tranquilas” nos últimos tempos. Glúten, lactose, açúcar refinado, sal estão na berlinda, e cada vez há mais alternativas e produtos diferentes, por se descobrirem malefícios para a saúde. A evidência científica parece comprovar que os alimentos processados, as gorduras saturadas, e o açúcar refinado (branco) são venenos silenciosos, que causam habituação, num processo muito semelhante ao das drogas. A pensar nisto e também no verão que aí vem, deixamos-lhe uma lista útil e prática de alimentos que saciam e alimentam – e outra de alimentos “proibitivos”.”

 

 

 

Submit a comment

11 + 2 =